ELA RS mostra a força das triticultoras gaúchas

A história e o desenvolvimento da agricultura gaúcha estão fortemente ligados com o trigo, cereal que por muitos anos foi a principal cultura de inverno de várias regiões do Rio Grande do Sul.

Desde que as primeiras sementes vindas de São Paulo chegaram ao estado, em 1737, muita coisa mudou. O cultivo foi interrompido no início do século XIX, afetado pela ferrugem e pela abertura dos portos, que facilitou a entrada de farinha importada.

A cultura ressurgiu com a chegada dos imigrantes italianos ao RS. Desde então, políticas governamentais ditaram os rumos do cereal brasileiro. A concorrência com o trigo importado e a baixa liquidez, além dos riscos climáticos inerentes ao cultivo de inverno, desestimularam os produtores por muitos anos.

Atualmente, as cotações positivas e as novas cultivares resultantes de anos de melhoramento genético, dão um novo fôlego aos triticultores.

Atento a esse cenário, o ELA RS reuniu um time de cinco produtoras gaúchas com diferentes vivências na produção de trigo: Liliana Picoli Donato (São Luiz Gonzaga), Gabriela Nichel (Chiapetta), Carla Helena Quaini (Cruz Alta), Camila Susin (Ronda Alta) e Natália Crestani (Lagoa Vermelha).

A história das nossas protagonistas já está nas redes sociais, e ao longo da safra acompanharemos todo o trabalho delas a campo para produzir este cereal tão importante para a nossa economia e para a nossa alimentação.

Acompanhe essa história nas nossas redes sociais @somoselars!